SECUENCIANDO

IDEAS

Imagem de uma atleta olímpica de vôlei segurando um tubo de coleta para testagem de covid-19
Inicio » Covid-19 » Testagem para COVID-19 nas Olimpíadas

Testagem para COVID-19 nas Olimpíadas

10 agosto, 2021 | Covid-19, Notícias

Você sabe como os atletas olímpicos foram testados para COVID-19?

Com a queda do número de novos casos da COVID-19, o Comitê Olímpico japonês resolveu proceder com as olimpíadas no ano de 2021. O evento quadrienal estava programado para acontecer no ano anterior mas, por conta da pandemia do novo coronavírus, precisou ser adiado.

Mesmo com a diminuição do número de casos, a pandemia ainda está em curso e, por isso, os devidos cuidados foram tomados para evitar a transmissão do vírus na Vila Olímpica de Tóquio.

Entre as medidas tomadas, uma das mais importantes foi a testagem regular em massa. Os atletas e profissionais envolvidos nas olimpíadas foram testados diariamente. Dessa forma foi possível identificar novos casos da doença rapidamente e isolá-los, evitando novos contágios.

Você pode estar se perguntando como isso foi feito, já que os testes de detecção do novo coronavírus convencionais levam cerca de 3 dias para liberar os resultados. E a resposta é simples: o teste usado não é um teste qualquer.

A comissão olímpica utilizou uma dupla testagem: primeiramente foi feito um teste de antígenos e, posteriormente, em casos positivos e inconclusivos, foi feito o teste com tecnologia RT-LAMP, seguido da RT-PCR convencional feita com swab nasofaríngeo, quando necessário.

O RT-LAMP (amplificação isotérmica mediada por loop com transcriptase reversa), é uma técnica molecular já amplamente utilizada para o diagnóstico de várias doenças infecciosas como a Influenza, Dengue, Chikungunya, Hepatite A, Zika e Ebola. 

Além do protocolo ser mais simples e rápido do que o RT-PCR convencional, o RT-LAMP não requer o uso de aparelhos laboratoriais complexos, como termociclador em tempo real ou de reagentes em falta na pandemia. 

Saiba mais sobre os diferentes tipos de testes para COVID-19 nesse artigo.

Além disso, os testes são feitos com amostras de saliva que pudem ser coletadas pelos próprios atletas.

O uso de saliva para realizar o teste trouxe muitas vantagens:

  • Auto coleta: não há necessidade de contato com outras pessoas, como médicos, enfermeiros, atendentes e outros pacientes, como aconteceria em um laboratório ou hospital.
  • Coleta rápida e indolor: a coleta é muito simples e completamente indolor.
  • Consome poucos insumos: a coleta é feita com apenas um tubo plástico (falcon). Portanto o teste não depende de insumos de alta demanda que podem se tornar escassos durante uma pandemia.

Por esses motivos, um estudo publicado na revista internacional Lancet concluiu que a saliva é o padrão ouro para testes de detecção do SARS-CoV-2 durante a pandemia. Saiba mais nesse artigo.

 

O quão eficaz está sendo a testagem na Vila Olímpica?

Desde o início dos jogos olímpicos, a capital japonesa vem registrando um aumento do número de novos casos de COVID-19. A grande maioria desses casos é referente à população que está acompanhando os jogos.

Dentro da Vila Olímpica o controle é muito mais rígido e os casos positivos são rapidamente isolados, assim como todas as pessoas que tiveram contato, minimizando a transmissão. Até o dia 04 de agosto foram registrados 491 casos positivos de pessoas envolvidas com os jogos, sendo que 34 são atletas.

O Comitê Olímpico japonês reportou uma taxa de testes positivos de 0,02%, o que mostra que a testagem foi capaz de identificar os casos a tempo de isolá-los e conter a transmissão. Os atletas que testaram positivo para a COVID-19 cumpriram o isolamento e foram impedidos de competir.

Atletas de diversos países foram desclassificados por terem testado positivo, como a equipe de nado artístico grega, um atleta americano do salto com vara, e uma skatista holandesa. Os profissionais dessas delegações que tiveram contato com os atletas contaminados também foram isolados.

 

#PARECOVID: o primeiro teste de detecção do SARS-CoV-2 por saliva e RT-LAMP do Brasil

Em junho de 2020, três meses após a Organização Mundial da Saúde declarar a COVID-19 como pandemia, a Mendelics lançou o #PARECOVID, o primeiro teste para detecção do novo coronavírus por saliva do Brasil.

O #PARECOVID utiliza a técnica RT-LAMP que possibilita resultados em até 24 horas. A simplicidade e rapidez do teste permite que o laboratório tenha capacidade para processar 110 mil testes diariamente, contribuindo para a testagem em massa no Brasil.

O teste de RT-LAMP tem especificidade superior a 99% e sensibilidade equivalente ao RT-PCR, de acordo com os dados de validação feitos em parceria com o hospital Sírio-Libanês. 

Entenda o protocolo #PARECOVID nesse artigo.

Conheça mais sobre o #PARECOVID no nosso site e veja como proteger a sua empresa.

 


Referencias

https://gtimg.tokyo2020.org/image/upload/production/mlmqnsphtv47sw0ftwbl.pdf

https://gtimg.tokyo2020.org/image/upload/production/v5dduvvfneu6yjic4n3r.pdf

https://gtimg.tokyo2020.org/image/upload/production/kaftwsexsgqz27pt1j26.pdf

https://www.cbsnews.com/news/coronavirus-pcr-testing-no-reason-japan-reasearch-says-covid-saliva-tests-as-reliable/

https://ge.globo.com/olimpiadas/noticia/covid-19-tira-equipe-de-natacao-artistica-da-grecia-das-olimpiadas.ghtml

https://www.bbc.com/portuguese/geral-58025512

0 comentarios

Deje su comentario

INSCRÍBASE Y RECIBA NUESTROS CONTENIDOS EXCLUSIVOS

MENDELICS

Mendelics Análise Genômica

Especializado en análisis genómico en Brasil. Con proceso 100% nacional, permite resultados mucho más ágiles, completos y accesibles.

MÁS INFORMACIÓN